Conhecimento dos acadêmicos sobre o protocolo de prevenção de Tromboembolismo Venoso: pré e pós realização do internato em farmácia clínica
Full Text(PDF)

Keywords

internato em farmácia clínica
Tromboembolismo Venoso
educação farmacêutica

How to Cite

Rovel, I. M. ., Sales, F. O. ., Aschenbrenner , J. de J. ., & Prado, M. R. M. . (2022). Conhecimento dos acadêmicos sobre o protocolo de prevenção de Tromboembolismo Venoso: pré e pós realização do internato em farmácia clínica: Knowledge of undergraduate students about the Venous Thromboembolism prevention protocol: pre and post completion of the internship in clinical pharmacy. Europub Journal of Health Research, 3(2), 108–122. https://doi.org/10.54747/ejhrv3n2-006

Abstract

Introdução: Integrando a grade curricular do Curso de Farmácia de uma universidade privada do município de Curitiba-PR, o Internato em Farmácia Clínica, ofertado em 195 horas práticas, busca promover ao estudante compreensão e vivência de atribuições da rotina do farmacêutico clínico: análise de prescrição, uso racional de antimicrobianos, conciliação medicamentosa, visitas multidisciplinares e segurança no uso de medicamentos. A fim de garantir autonomia e senso crítico, em 2021, 23 acadêmicos do último período aprimoram conhecimentos referentes aos estudos clínicos, responsabilidade nas intervenções farmacêuticas, postura cooperativa com a equipe multidisciplinar e gestão de pessoas, planejando ações interprofissionais e intervindo de forma colaborativa. No que qualifica o estudante, interesse, postura, comunicação e busca pela informação são formas de avaliação por professor e farmacêuticos supervisores que, juntamente com a avaliação somativa escrita, aprovam e finalizam este estágio. Objetivo: Este trabalho tem como objetivo comparar o conhecimento de acadêmicos de Farmácia, sobre o Protocolo de Prevenção de TEV, antes e após realização do Internato em Farmácia Clínica. Materiais e Métodos: A coleta de dados sucedeu-se no período de agosto a novembro de 2021. O questionário abordou perguntas sobre os conhecimentos dos 23 estudantes sobre o Protocolo de Prevenção de TEV do Hospital Escola em questão, sendo aplicado aos estudantes antes e após realização do Internato em Farmácia Clínica. Os dados foram compilados, codificados e analisados, acatando a resolução nº 466/2021 da Comissão de Ética e Pesquisa em Seres Humanos, atendido e aprovado pelo nº 4.995.40. Resultados e Discussão: A grade curricular do curso de graduação em questão, abrange disciplinas direcionadas para o Internato: Introdução a Farmácia Clínica e Farmácia Clínica, que em associação com a Farmacologia, Patologia e Hematologia são encarregadas de abordar sobre TEV. O protocolo de prevenção de TEV aborda o uso racional de anticoagulantes orais e injetáveis dispostos pela Relação Nacional de Medicamentos e a profilaxia divide-se em pacientes cirúrgicos e clínicos, ambos são avaliados pela estratificação de risco individual. Previamente ao estágio, pode considerar-se que o conhecimento deste documento era prevalente, visto que apenas 8,69% dos estudantes não tinham realizado a leitura prévia, mas tinham conhecimento da existência do mesmo. Posterior à realização do estágio, o conhecimento e leitura prévia foram íntegros e ainda, 69,56% dos estudantes apontaram que aplicaram o protocolo institucional, considerando sua utilização imprescindível. Considerações Finais: A abordagem clínica prévia do tema demonstra-se favorável para a realização do estágio, viabilizando o desenvolvimento precoce dos estudantes e a atuação dos futuros farmacêuticos clínicos. Ressalta-se os relatos prévios de internalização e posteriores de aplicação prática do protocolo institucional, assim como a observação dos estudantes para a necessidade de completar a abordagem da estratificação de risco do protocolo, considerando afecções clínicas como o HIV.

https://doi.org/10.54747/ejhrv3n2-006
Full Text(PDF)