Casos notificados de AIDS no Brasil em menores de 12 anos: uma análise epidemiológica de 5 anos
Full Text (PDF)

Keywords

AIDS
HIV
pediatria

How to Cite

Sampaio, P. H. de S. ., Ramos, A. B. F. ., Araújo, H. Áurea G. dos S. ., Guimarães, M. de F. de M. ., Carvalho, G. T. A. de ., Lima, A. A. S. de ., Cavalcante, C. P. ., & Sá, R. B. . (2022). Casos notificados de AIDS no Brasil em menores de 12 anos: uma análise epidemiológica de 5 anos: Notified cases of AIDS in Brazil in children under 12 years old: a 5-year epidemiological analysis. Europub Journal of Health Research, 3(2), 197–212. https://doi.org/10.54747/ejhrv3n2-013

Abstract

INTRODUÇÃO: O vírus da imunodeficiência humana adquirida é um vírus de RNA que predispõe o paciente a diversas infecções que afetam sua qualidade de vida, assim como possui características potencialmente fatais. Diante disso, sabe-se que a classe pediátrica menor de 12 anos é um período em que o indivíduo ainda não possui um sistema imunológico completamente estabelecido e que o predispõe a situações que o tornam mais vulnerável, principalmente quando estão acometidos pela AIDS. MÉTODO: Estudo descritivo, retrospectivo e analítico realizado por meio de pesquisas no banco de dados DataSUS - TABNET e nas plataformas digitais Scielo, LILACS e PubMed. OBJETIVO: Analisar o panorama epidemiológico dos casos notificados de AIDS dentre a população pediátrica brasileira menor de 12 anos num período de 5 anos, mais especificamente entre 2016 e 2020. RESULTADOS E DISCUSSÃO: A AIDS condiciona-se como uma questão significativa no que refere à saúde pública do País, principalmente relacionado ao componente pediátrico. Dentre os anos de 2016 a 2020, o País notificou cerca de 1983 casos de AIDS em crianças menores de 12 anos. O maior número de casos concentra-se na região Sudeste, que soma 612 casos dentre os parâmetros analisados. A título de comparação, a menor parcela de ocorrências se concentra na região Centro-Oeste, com 92 casos, seguida pela parte Sul do País, totalizando 333 casos, da região Norte com 374 casos e a região Nordeste com 572 casos, complementando essa ordem crescente, com um total de  casos.  Ademais, observa-se uma redução significativa do número de casos notificados de AIDS entres os anos de 2016 e 2018, no qual foi possível constatar um decréscimo de aproximadamente 75%. Quanto ao perfil da população pediátrica mais afetada, destaca-se a população do sexo feminino (51%) e à raça parda (24%). Quanto à escolaridade vê se um predomínio daqueles que possuem entre 1ª a 4ª série incompleta com 54 casos, seguida por os que possuem entre 5ª a 8ª série incompleta  com 39 casos, já os que possuem a 4ª série completa totalizam 21 casos, os que têm fundamental completo somam 4 casos e, por fim, 3 casos são representados pelos analfabetos. CONCLUSÃO: Evidencia-se um acometimento predominante da população infanto-juvenil proveniente da região Sudeste, pertencente ao sexo feminino, da raça parda e com idade entre menor que 5 anos, que contabiliza 1438 casos. Dessa forma, a instalação de medidas que visem a redução da propagação do vírus por meio de iniciativas como a organização dos serviços de saúde,a educação em saúde e a mobilização social frente ao combate dessa doença, torna-se de extrema relevância para arrefecer o atual contexto epidemiológico, evitando o aumento de casos de AIDS na faixa etária pediátrica.

https://doi.org/10.54747/ejhrv3n2-013
Full Text (PDF)